quinta-feira, 14 de Maio de 2009

Martin Luther King

Biografia

  • Martin Luther King nasceu a 15 de Janeiro de 1929 e foi um dos três filhos de um ministro baptista negro, Martin Luther King Sénior, e de Alberta King, professora.
  • Era muito bom aluno e licenciou-se em Teologia (estudo da religião e questões religiosas), na Pensilvânia, em 1951. Em 1955, doutorou-se na Universidade de Boston.
  • Casou com Coretta Scott, em 1953, e tiveram quatro filhos.
  • Em 1954 tornou-se ministro da igreja baptista de Montgomery, no Alabama.
  • Em 1955, Rosa Parks, membro da sua paróquia, foi presa por se ter recusado a dar lugar a uma pessoa branca no autocarro.Na altura, nos EUA, sobretudo nos estados do Sul, havia segregação (separação) nos locais e transportes públicos entre negros e brancos.
  • Surgiram grandes protestos e a comunidade negra decidiu recusar-se a usar os transportes públicos da cidade enquanto a segregação se mantivesse. Martin atraiu as atenções do país e do mundo como líder daquilo que ficou conhecido como o «boicote dos autocarros de Montgomery».
  • Iniciou-se assim uma resistência pacífica para alcançar a igualdade entre negros e brancos, inspirada nos ensinamentos de Gandhi.
  • Esse boicote durou 382 dias. King foi preso e espancado.Terminou quando o Supremo Tribunal dos Estados Unidos declarou inconstitucional a separação racial nos transportes públicos, a 21 de Dezembro de 1956.
  • Martin obteve assim a sua primeira vitória pelos direitos civis.
  • Em 1957 fundou e foi eleito presidente da Conferência de Líderes Cristãos Sulistas, uma organização pacifista de defesa dos direitos civis.Os ideiais eram os cristãos e as técnicas de protesto eram inspiradas nas de Gandhi.
  • Entre 1957 e 1968, Martin viajou mais de nove milhões e seiscentos mil quilómetros e discursou mais de 2500 vezes, aparecendo onde havia injustiças, protestos e acção. Nesse período escreveu cinco livros e numerosos artigos.
  • Nesses anos, para além dos protestos em Birmingham, Alabama, que foram brutalmente reprimidos pela polícia, Martin escreveu a «Carta de uma Prisão de Birmingham», um manifesto contra a discriminação racial, e planeou marchas para que os negros pudessem votar.
  • Em 1960 mudou-se para Atlanta, capital do Estado da Georgia, um dos Estados Sul dos EUA com mais negros descendentes dos escravos.
  • Foi um dos organizadores da marcha pacífica que reuniu mais de 250 000 pessoas, de todas as raças, até Washington D.C., em Agosto de 1963, em que exigia igualdade racial.
  • Foi em Washington, em 28 de Agosto de 1963, com um enorme público, que proferiu o seu famoso discurso l Have a Dream («Eu tenho um sonho»).
  • Encontrou-se com o presidente John F. Kennedy e fez campanha para o presidente Lyndon B. Johnson.
  • Foi preso mais de vinte vezes e agredido pelo menos quatro, mas nunca desistiu.
  • Recebeu títulos honorários e foi a «Personalidade do Ano» da revista Time, em 1963.
  • Em 1964, Martin viu a sua acção reconhecida com a atribuição do Prémio Nobel da Paz. Com 35 anos foi o mais jovem galardoado com esse prémio.
  • Em 1968, quando se deslocou a Memphis, Tennessee, para apoiar uma greve, foi assassinado a tiro por um fanático branco, James Earl Ray.
  • Mas a sua luta não morreu. Em 1969, a sua viúva, Coretta Scott King, organizou o Martin Luther King Jr. Center for Non-Violent Social Change (Centro Martin Luther King Jr. para a Mudança Não-Violenta) que actualmente está situado perto da sua igreja baptista, a Ebenezer Baptist Church, em Atlanta.
  • O dia do seu aniversário, 15 de Janeiro, é feriado nacional nos EUA.
  • O Hotel Lorraine, onde Martin Luther King foi assassinado, é hoje o Museu Nacional dos Direitos Civis.


EU TENHO UM SONHO

Discurso de Martin Luther King (28/08/1963)

O discurso de Martin Luther King, pronunciado na escadaria do Monumento a Lincoln, em Washington D.C, em 28 de Agosto de 1963, foi ouvido por mais de 250 000 pessoas de todas as etnias, reunidas na capital dos Estados Unidos da América, após a «Marcha para Washington por Emprego e Liberdade». A manifestação foi pensada como uma maneira de divulgar de uma forma dramática as condições de vida desesperadas dos negros no Sul dos Estados Unidos, e exigir ao poder federal um maior comprometimento na segurança física dos negros e dos defensores dos direitos civis, sobretudo no Sul.


Devido a pressões políticas exercidas pela Presidência dos Estados Unidos - ocupada por John Kennedy -, as exigências a apresentar no comício tornaram-se mais moderadas, mas mesmo assim foram feitos pedidos claros: o fim da segregação no ensino público, passagem de legislação clara no que respeita aos direitos civis, assim como de legislação proibindo a discriminação racial no emprego; para além do fim da brutalidade policial contra militantes dos direitos civis e a criação de um salário mínimo para todos os trabalhadores, que beneficiaria sobretudo os negros.


Realizado num clima muito tenso, a manifestação foi um estrondoso sucesso, e o discurso conhecido sobretudo pela frase permanentemente repetida no meio do discurso l Have a Dream («Eu tenho um sonho»), mas também pela frase que é repetida no fim That Liberty Ring («Que a Liberdade ressoe»), que retoma o poema patriótico «América», tornou-se, com o discurso de Lincoln em Gettysburg, um dos mais importantes da oratória americana.



video



“Se soubesse que o mundo se desintegraria amanhã, ainda assim plantaria a minha macieira. O que me assusta não é a violência de poucos, mas a omissão de muitos. Temos aprendido a voar como os pássaros, a nadar como os peixes, mas não aprendemos a sensível arte de viver como irmãos.”

Martin Luther King

Sitografia

Martin Luther King [Em linha]. Disponível em: http://bibliodrruydandrade.no.sapo.pt/curiosidadedomes/conteudos/dezembro2006.htm. [Consultado em 12/05/2009].


Martin Luther King [Em linha]. Disponível em:
http://www.portalafro.com.br/religioes/evangelicos/martin.htm. [Consultado em 12/05/2009].

Sem comentários:

Enviar um comentário